quinta-feira, 21 de novembro de 2013

VAGAMENTE

Os vestidinhos dela,
o sorriso dele.
Ela deixava ele esquecer o olhar no dela.
De mãos dadas atravessavam as ruas correndo.

...do que é mesmo que tinham pressa?





Toulouse Lautrec- O Beijo (1892 )

2 comentários:

Jorge Santos disse...

Eu vi um poema passar na corrente ...viste ?

Eu ouvi um poema ouviste ?
Passou junto a tanta gente,
ninguém o viu
Ia numa garrafa vazia
era triste e apenas da sua tristeza.
existia o belo
Não vem por mim essa tristeza triste
não ,não vem por ti também
Mas p´las mudanças do mundo,
Que agora nos tira as esperanças
das mesas
e nos dá apenas incertezas…

Sônia Brito disse...

Belo poema, Jorge.