domingo, 3 de fevereiro de 2013

TEMPO


Certa vez,
ora lembro, ora esqueço,
envergonhada,
sem ar de tanto rir
das loucuras que aprontava,
menina,
pra estar com você.
Afundo na poltrona,
com o cheiro do chá de capim limão.
Morno aconchego,
pra quem tem nome de sonhos.

                                                                                        

Um comentário: